A perda de algum dos sentidos é uma triste realidade que acomete várias pessoas ao redor do mundo. Quando isso acontece na vida adulta a adaptação é complicada, mas o entendimento do contexto e o conhecimento que foi adquirido ao longo da vida auxiliam no processo de adaptação com o novo estilo de vida, mas vale lembrar que na maioria dos casos é possível tratar o problema e contornar a situação sem muitas complicações.

  Agora, quando o assunto são as crianças a situação fica mais difícil, uma vez que elas ainda estão em processo de aprendizado e conhecimento contínuo, sem ouvir direito fica difícil desenvolver a fala, absorver os conteúdos na escola, o que diminui o rendimento escolar e atrasa a vida do indivíduo em grande parte. Este problema também pode ser tratado com métodos e medicações adequadas.

Um problema comum e que preocupa

   Os dados são alarmantes e aumentam a preocupação com o desenvolvimento das crianças que sofrem com a perda de audição. Estima-se que 32 milhões de crianças vivem com esta realidade no mundo, sendo assim, uma em cada mil crianças enfrentam problemas advindos da perda da audição e de acordo com especialistas 60% é devido causas que poderiam, em algum momento, terem sido evitadas.

   No momento do nascimento as crianças são submetidas a testes que comprovam se a sua audição está, ou não, funcionando como deveria, sendo realizados nas primeiras horas de nascimento, entre as 24 a 48 horas. Mas, as crianças que não nascem com o problema podem chegar a desenvolvê-lo devido à exposição alta a ruídos em ambientes recreativos com frequência.

Atraso na linguagem e baixo rendimento escolar

  Os problemas mais marcantes no desenvolvimento das crianças que sofrem com a perca da audição são o atraso na linguagem e o baixo rendimento escolar. A comunicação do indivíduo fica comprometida desde a infância e vai precisar de ainda mais estímulos que o normal para que seja bem desenvolvida. O diagnóstico precoce é essencial no tratamento do problema e cuidados devem ser tomados o mais rápido possível, por isso qualquer indício de uma má escuta no seu filho deve ser motivo de uma consulta médica.

Intervenção médica imediata

  Como já dito acima, a intervenção médica é necessária e imediata. Só através dela é que a criança pode passar pelo tratamento adequado e então contornar o problema, ou ainda quem sabe tratar de vez a situação. A exposição contínua à fala, linguagem e outros estímulos exteriores auxilia a criança que não escuta bem a ter um desenvolvimento saudável, quanto mais você faz isso, mais ele vai conseguir conviver com a situação e ser feliz.

Soluções para o problema da perda de audição na infância

Soluções para o problema vai depender do tipo da perda auditiva apresentada pela criança, no caso da perda auditiva neurossensorial, podemos citar 3:

  • Utilização de aparelhos auditivos – eletrônicos que são colocados na orelha e auxiliam na amplificação do som do ambiente e da fala.
  • Implantes cocleares – dispositivos que são inseridos cirurgicamente e que estimula de forma direta o nervo auditivo eletricamente.
  • Terapia da linguagem – instrução feita de forma terapêutica que ajuda a melhorar o desenvolvimento do pequeno na comunicação e uso da linguagem.

Caso a perda auditiva for condutiva, a solução pode ser através de tratamento medicamentoso ou cirurgia (como a colocação de tubo de ventilação e reconstrução da membrana timpânica).