Medicina do sono

A julgar por documentos, lendas tradições orais ou escritas, o sono tem fascinado todos os povos do mundo, desde a mais remota antiguidade. Extremamente complexo, o sono, que já foi considerado como desperdício de tempo, se reafirma cada vez mais como um estado comportamental fundamental na manutenção fisiológica do organismo. Mesmo ocupando tamanha importância estudos mostram que a restrição crônica de sono é cada vez mais comuns nas sociedades industrializadas, afetando cerca de 45% da população.A partir desses fatos, aos poucos foi se evidenciando a necessidade de se formar uma nova subespecialidade na medicina que fosse capaz de cuidar de doenças que possam afetar, qualidade ou quantidade de sono. E assim surgiu, a medicina do sono, subespecialidade multidisciplinar, na qual ha atuação de vários especialistas médicos : dentre eles o otorrinolaringologista. Os sinais e sintomas das doenças do sono são variados: ronco, insônia,agitação psicomotora durante o sono,hipersonolencia diurna, fadiga diurna, diminuição de memória, perda de libido, parada respiratórias noturnas, alterações do ritmo cardíaco e ou da pressão arterial durante o sono, infecções de repetição, sintomas depressivos, sono não reparador…

A consulta com um especialista e a polissonografia já podem diagnosticar vários desses distúrbios específicos do sono. O não tratamento desses distúrbios podem causar graves consequencias , além do decréscimo da qualidade de vida, tais como aumento considerável da chance de eventos cardiovasculares e neurológicos agudos , aumento da ocorrência de distúrbios metabólicos e hormonais, aumento do risco de acidentes de trânsito e de acidentes no trabalho.

A polissonografia é um exame que foi introduzido na medicina na década de 60, consiste no registro de múltiplas variáveis fisiológicas e de fenômenos que ocorrem durante o sono, realizado preferencialmente em uma clínica ou hospital, mas podendo ser realizado em alguns casos, em casa.São eletrodos e cintas que vão registrar atividade cerebral, movimentos oculares, tonus de músculos da face, monitoramento da respiração bucal e nasal, presença ou ausência de ronco,movimentação torácica e abdominal, movimentação de membros inferiores, atividade cardíaca, saturação de oxigênio no sangue.Desta forma, a polissonografia continua sendo padrão ouro para diagnóstico de doenças do sono.

O diagnóstico e tratamento precoce dos distúrbios do sono são essenciais para se evitar sequelas futuras(devido a comorbidades adquiridas) e ainda a melhora da qualidade de vida.

“Ria e o mundo rirá com você , tenha roncos e você dormirá sozinho”
( Anthony Burgess-escritor frances).